Fale com um especialista! Contacte-nos
962 108 663

Perguntas Mais Frequentes: Células estaminais do sangue do cordão umbilical

+ O que é o sangue do cordão umbilical?
O sangue do cordão umbilical é o sangue retirado do cordão umbilical do recém-nascido e da placenta imediatamente após o parto. O sangue do cordão umbilical contém uma elevada concentração de células estaminais. A partir dessas células, desenvolvem-se todas as novas células sanguíneas, o sistema imunitário do corpo e outros tecidos e órgãos. Estas células estaminais do sangue do cordão umbilical produzem os ingredientes celulares necessários para o sistema sanguíneo e imunitário. Quando as células do sangue do cordão umbilical são transplantadas em doentes, podem ajudar a restaurar o sistema imunitário e sanguíneo para combater doenças e substituir o sangue doente.
+ O que são as células estaminais?
As células estaminais são as células mais primitivas encontradas na medula óssea, no sangue do cordão umbilical e da placenta, no tecido umbilical e placentário, no sangue periférico adulto e noutros tecidos. As células estaminais são as células de referência ou progenitoras a partir das quais se desenvolvem todas as diferentes células sanguíneas e os tecidos tais como ossos, músculos, coração, fígado, rim, nervos, olhos, pele, etc.
+ Como é recolhido o sangue do cordão umbilical?
A recolha de sangue do cordão umbilical é simples e não apresenta riscos para si ou para o seu bebé. Imediatamente após o nascimento do seu bebé, o cordão umbilical é clampado e separado do bebé. Nesta altura, a agulha instalada no saco de recolha é inserida na veia do cordão umbilical. O sangue da placenta/cordão umbilical, atraído pela gravidade, flui para o saco da recolha. O saco está equipado com um anticoagulante para impedir que o sangue coagule até chegar ao nosso laboratório. Ao contrário da tradicional colheita de medula óssea, que normalmente requer anestesia geral e tempo de recuperação, o processo de recolha de sangue do cordão umbilical é não-invasivo, indolor e demora apenas cerca de quatro a cinco minutos para completar. O NECBB irá fornecer um kit de recolha de sangue do cordão umbilical antes da data do parto do seu bebé. Só tem de levar consigo o kit para o hospital para que médico ou parteira possa recolher o sangue do cordão umbilical após o parto.
+ Como são armazenadas as células estaminais?
As células estaminais do sangue do cordão umbilical do seu bebé são armazenadas numa embalagem com vários compartimentos. Colocamos de parte uma amostra menor, que pode ser usada para a correspondência do tipo de HLA (Antigénio Leucocitário Humano), caso as células venham a ser necessárias para outra pessoa que não o seu bebé. A correspondência do tipo de HLA determina se um doente tem um doador compatível para o transplante de células estaminais. Cem por cento das células processadas são preservadas para a sua família, e nada é retido para nossa utilização, um procedimento exclusivo ao NECBB. Também colocamos de parte três amostras menores, que podem ser usadas para a correspondência do tipo de HLA (Antigénio Leucocitário Humano), caso as células venham a ser necessárias para outra pessoa que não o seu bebé.
+ E se a maternidade não aceitar recolher o sangue do cordão umbilical?
Algumas maternidades mostram-se ainda relutantes quanto à colheita de sangue do cordão umbilical. Se tiver algum problema sobre esta questão, entre em contacto connosco para encontrarmos uma solução em conjunto. Como o nosso departamento de saúde foi credenciado, muitas vezes só temos de garantir à maternidade que somos um banco de células seguro e protegido.
+ Como é que determinam a compatibilidade?
As células estaminais do cordão umbilical só são 100% compatíveis com um gémeo monozigótico do doador. A compatibilidade – neste caso, falamos de histocompatibilidade – é uma caraterística hereditária que diminui, em termos de probabilidade, no alargamento da gama dos pais. A histocompatibilidade é determinada através de um exame HLA (Antigénio Leucocitário Humano, um teste de primeiro nível clínico, o chamado “fenotipagem”, para o qual é necessária uma simples recolha de amostra de sangue). Se for detetada uma correspondência básica entre doador e recetor, a “fenotipagem” é alargada com um teste de ADN e, finalmente, com a realização de uma MLC (Cultura Linfocitária Mista), que confirma a compatibilidade. A verificação da compatibilidade não implica o descongelamento da amostra de células.
+ Que doenças podem ser atualmente curadas com células estaminais?
As células estaminais são células não programadas do corpo humano. Estas células prontas-a-desenvolver têm a capacidade de se transformar noutros tipos de células. As células estaminais são o foco central de uma nova área da ciência chamada medicina regenerativa. Como as células estaminais podem transformar-se em osso, músculo, cartilagem e outros tipos especializados de células, têm o potencial para tratar muitas doenças, incluindo leucemias, anemias, doenças cardíacas e uma série de outras doenças. Atualmente, são mais de 75 as doenças passíveis de ser tratadas com células estaminais. Futuras descobertas científicas oferecem a promessa de uma possível ajuda vinda das células estaminais para o tratamento do acidente vascular cerebral (AVC), doença de Parkinson, doença de Alzheimer, diabetes, cancro, esclerose múltipla, lúpus, doenças neurodegenerativas, e muitos outros problemas médicos.
A comunidade científica acredita que, num futuro próximo, as aplicações terapêuticas com células estaminais poderão tornar-se ainda mais eficazes na cura das seguintes doenças:

  • Lesão da espinal medula na sequência de um traumatismo
  • Doenças neurodegenerativas (doença de Parkinson e doença de Alzheimer)
  • Doenças músculo-esqueléticas
  • Doenças degenerativas da retina, córnea e do aparelho auditivo
  • Doenças metabólicas (por exemplo, diabetes)
  • Reconstrução óssea
  • Incontinência urinária

laboratory samples

Perguntas Frequentes: Banco de sangue do cordão umbilical

+ As células estaminais do meu bebé podem ser utilizadas para outros membros da família?
Qualquer pessoa que tenha correspondência direta com o seu filho, tal como um irmão ou irmã, pode usar as células estaminais doadas, se tiver dado o seu consentimento escrito nesse sentido. Tenha em atenção que as hipóteses são de 1 para 4 neste caso familiar.

+ No caso de gémeos, eu preciso de mais do que um kit de recolha?
Sim, para gémeos vai precisar de dois kits de recolha. No entanto, receberá uma redução de 50% na taxa de serviço para o segundo filho.
+ É possível vender as minhas células estaminais a terceiros?
Na maioria dos países é ilegal vender partes do corpo, incluindo sangue, a terceiros.
+ A recolha do sangue do cordão umbilical é dolorosa ou perigosa para mim e o meu bebé?
Não existe qualquer dor ou perigo. A recolha tem lugar imediatamente após o corte do cordão umbilical. O sangue é recolhido da secção do cordão umbilical ligado à placenta; é um procedimento indolor e sem riscos.

+ Qual é a probabilidade na vida de uma pessoa de utilizar células estaminais?
Num tempo de vida até aos 70 anos de idade, a probabilidade de uma pessoa precisar de um transplante das suas próprias células estaminais (“transplante autólogo”) é de 1 em 435 ou 0,23%.
+ Quem pode utilizar as células estaminais do cordão umbilical do meu bebé?
Qualquer membro da família que tenha uma correspondência adequada pode usar as células estaminais do cordão umbilical do seu bebé para a medicina de transplantação, apesar de os irmãos terem uma maior probabilidade de uma correspondência compatíveis para o uso das células estaminais. O bebé terá sempre uma compatibilidade perfeita e pode usar as suas próprias células estaminais para o tratamento de várias doenças, mas não para condições genéticas hereditárias. Nestes casos, as células estaminais compatíveis de um irmão seriam a primeira escolha.
+ Quem tem acesso aos laboratórios e às salas de armazenagem?
Os nossos equipamentos são controlados e mantidos sob rigorosa e constante supervisão da equipa de gestão de instalações da Salveo, com uma reputação de excelência. Esforçamo-nos ao máximo para melhorar a qualidade das nossas tecnologias e instalações do nosso banco de células estaminais da Salveo.

Perguntas Frequentes: Recolha de Sangue

+ Como é recolhido o sangue do cordão umbilical?
O sangue do cordão umbilical é facilmente recolhido pelo seu prestador de cuidados, utilizando o kit e as instruções fornecidas pela Salveo. O cordão umbilical é clampado e cortado da mesma forma como num parto normal. Usando um saco de recolha de sangue, o sangue do cordão umbilical é extraído do cordão umbilical. A Salveo descobriu que o método de colheita com saco é fácil de usar, eficaz para a otimização do volume e com baixos índices de contaminação. O sangue materno também é recolhido através de uma punção venosa para realizar testes de doenças infeciosas.
+ O meu prestador de cuidados de saúde vai cobrar alguma taxa pela recolha de sangue?
Muitos profissionais de saúde cobram uma taxa para o procedimento de colheita de sangue do cordão umbilical. Sugerimos que, antes de se inscrever no nosso serviço, discuta este procedimento com o seu médico para confirmar se este concorda em executar a recolha; nessa altura, ficará a conhecer a respetiva política a respeito de uma taxa de recolha.

+ O que se segue à recolha do sangue do cordão umbilical?
O sangue do cordão umbilical é embalado, juntamente com o sangue da mãe nos materiais especiais de transporte fornecidos no kit. De seguida, os pais entram em contacto com o Coordenador de Transportes da Salveo, que providencia o levantamento e a entrega do sangue do cordão umbilical no laboratório da Salveo num prazo de 36 a 48 horas após a recolha, onde o sangue é processado, testado, separado e as células estaminais são crioarmazenadas.

Perguntas Frequentes: Processamento e armazenamento do sangue

+ Qual é o procedimento depois de o sangue do cordão umbilical do bebé ser recebido?
No laboratório, o técnico vai:

  • Testar o sangue da mãe através de uma grande variedade de testes para assegurar que não há doenças presentes no momento do parto e que possam ter sido transferidas para o sangue do cordão umbilical da criança.
  • Reduzir o volume do sangue para cerca de um quarto do volume recolhido (aproximadamente 25 ml) através da remoção de uma grande proporção dos glóbulos vermelhos do sangue e plasma (fração líquida do sangue). Os glóbulos vermelhos do sangue e plasma não necessitam de ser armazenados pois não contêm células estaminais.
  • Analisar o sangue do cordão umbilical para determinar quantas células transplantáveis estão presentes, e criar um relatório com essa informação. Esta informação será posteriormente útil no caso de precisar de usar o sangue do cordão umbilical.
  • Adicionar criopreservantes (químicos especiais que ajudar o processo de congelação) na porção remanescente de células estaminais.
  • Refrigerar lentamente o saco a uma taxa de 1º centigrado (C) por minuto, até atingir a temperatura de congelação ótima de -130 ° C (-320 ° Fahrenheit).
  • Transferir as células estaminais recolhidas para o armazenamento.

+ Como são armazenadas as células estaminais e o tecido?
Embora a manutenção da temperatura usada seja melhor num meio totalmente líquido, foram significativamente melhorados novos tanques para armazenamento do sangue do cordão umbilical, e, hoje em dia, os tanques de vapor são capazes de manter uma temperatura constante. Além disso, há uma certa reticência sobre o armazenamento em meio totalmente líquido, porque as infeções ou bactérias podem ser capazes de “nadar” no líquido e infetar outra amostra.
Os Laboratórios de Sangue do Cordão Umbilical da Salveo começaram a armazenar amostras em vapor, pois confiamos no controlo da temperatura utilizando este método. A temperatura do nosso tanque é monitorizada electronicamente, com leituras a cada hora, e temos dois sistemas de alarme de segurança no caso de a temperatura ficar de alguma forma comprometida.

Perguntas Frequentes: Inscrição na Salveo

+ Como posso inscrever-me na Salveo?
Pode contactar-nos online através da Internet, preenchendo a página do formulário de inscrição por telefone (962 108 663).

A Salveo oferece vários programas, descontos, promoções e planos de pagamento, como indicado na estrutura de preços em baixo. As inscrições online estão disponíveis com a melhor estrutura de preços possível disponível no momento da inscrição; no entanto os planos de pagamento devem ser estabelecidos preenchendo o formulário de inscrição.

+ Porquê inscrever-me na Salveo ?
Para que os nossos clientes fiquem tranquilos, nós esforçamo-nos por obter certificações voluntárias, quando estas não entram em conflito com as normas legais nacionais. A nossa mensagem aos clientes é que, ao escolher a Salveo para armazenar as células estaminais do seu bebé, está a fazer uma escolha segura e protegida.
Na Salveo, nós escolhemos cuidar do futuro do seu bebé com total transparência. Ao guardar as células estaminais do seu bebé com a Salveo, não há custos ocultos, como taxas anuais ou taxas extras para os testes padrão das amostras.

Perguntas Frequentes: Equívocos Comuns

+ Equívoco: Os médicos nunca tratam uma criança com as próprias células estaminais do cordão umbilical pois estas contêm a doença.
Facto:
Há certas condições médicas que não usariam as células estaminais autólogas (as próprias células estaminais de uma pessoa):

  • Doenças Genéticas: uma criança pode não ser capaz de usar as suas próprias células estaminais do cordão umbilical em casos como doenças genéticas, por exemplo a anemia falciforme. Se a criança tiver uma doença genética, as células não são úteis na medicina de transplantação ou regenerativa.
  • Certos tipos de cancro: Além disso, os médicos não podem escolher células estaminais autólogas para tratar certas formas de leucemia nos primeiros anos de vida, devido à preocupação de que um início tão precoce pode indicar um componente genético.

Uso autólogo: Milhares de transplantes autólogos de células estaminais – os que usam as próprias células estaminais – são realizados anualmente.

Os transplantes autólogos são realizados para doenças como: a doença de Hodgkin, linfoma Não-Hodgkin, mieloma, sarcoma de Ewing, neuroblastoma, esclerose múltipla, artrite reumatoide, tumores cerebrais, e outros tumores sólidos.

Uma investigação publicada no Journal of Clinical Oncology indica que, mesmo com início precoce da doença (no prazo de 12 meses após o nascimento), as células estaminais da criança são viáveis para uso em transplantes. Nesse estudo, o tratamento autólogo com células estaminais em crianças com leucemia aguda foi tão bem sucedido como um transplante entre irmãos.

As células estaminais autólogas do sangue do cordão umbilical têm muitas vantagens enquanto fonte de transplante, incluindo nenhum risco de doença enxerto-hospedeiro (a principal causa de morte em doentes transplantados), disponibilidade imediata e baixo risco de as células serem contaminadas por doença.

Novos tratamentos centrados no sangue do cordão umbilical em medicina regenerativa – nos quais os médicos usam células estaminais para reparar tecidos e órgãos danificados do corpo. As células estaminais do cordão umbilical estão a revelar um grande potencial para tratar doenças que não têm cura hoje – como o diabetes juvenil e lesões cerebrais. Para aplicações na medicina regenerativa, é necessário o sangue do cordão umbilical da própria criança.

+ As probabilidades de uma família, sem historial de cancro ou doença, nunca vir a precisar do sangue do cordão umbilical armazenado são tão baixas que as pessoas não se devem preocupar em fazê-lo.
As famílias guardam as células estaminais do cordão umbilical dos seus bebés com da Salveo para terem paz de espírito, no caso de essas células estaminais serem um dia a salvação para a sua família. A maioria dos clientes da Salveo não tem historial médico de doenças, mas reconhecem o valor atual e futuro das células estaminais do sangue do cordão umbilical dos seus recém -nascidos como um recurso biológico para tratamentos médicos.
Histórico médico da Família: O histórico médico da família não é um indicador fiável de necessidade pois a maioria das formas de leucemia (o transplante de células estaminais mais comum) não são hereditárias, e as causas de muitos cancros e doenças são desconhecidas. Na verdade, inúmeras doenças graves tratáveis com sangue do cordão umbilical não são hereditárias e surgem sem aviso prévio. Muitos investigadores e médicos acreditam que o cancro é ” desencadeado ambientalmente” e, em alguns casos, certos tipos de cancro estão a crescer a ritmos alarmantes. Relatórios recentes indicam que uma em cada 630 crianças terá cancro aos 15 anos de idade.

+ O sangue do cordão umbilical ainda não é utilizado em tratamentos médicos.
Nos últimos 20 anos, em 15,000 transplantes, as células estaminais do cordão umbilical têm mostrado ser eficazes no tratamento de muitas doenças. De facto, as células estaminais do cordão umbilical têm sido utilizadas para tratar muitas doenças potencialmente fatais, tais como a leucemia e outros cancros. Na medicina de transplantação, o doente é geralmente submetido a quimioterapia e, em seguida, recebe uma infusão de células estaminais do cordão umbilical para criar um sistema sanguíneo e imunitário saudável.

As células estaminais do cordão umbilical estão a revelar um grande potencial para tratar doenças que não têm cura hoje – como o diabetes juvenil e lesões cerebrais. Este novo campo, chamado de medicina regenerativa, está a investigar o uso de células estaminais do seu bebé para ajudar a reparar ou substituir células danificadas por doenças ou lesões.

+ As células estaminais do cordão umbilical podem não permanecer utilizáveis após um armazenamento prolongado.
As células estaminais do cordão umbilical podem ser armazenadas indefinidamente em azoto líquido ou gasoso. O documento afirma, “Não há qualquer evidência neste momento de que as células armazenadas a-196 ° C de uma forma não perturbada perdem quer a viabilidade in vitro determinada quer a atividade biológica. Portanto, atualmente, não há a necessidade de atribuir uma data de validade ao sangue do cordão umbilical armazenado continuamente em azoto líquido.” Todos os estudos científicos que envolvem o crioarmazenamento de células também indica que as células devem permanecer viáveis por tempo indeterminado.